Translate

quinta-feira, 9 de junho de 2011

39 Trabalhos do Grupo Ismael por Guillon Ribeiro


Pedro Richard
Também conhecido como "o discípulo de Max". 
"Max" foi o pseudônimo usado pelo Dr. Bezerra de Menezes 
em muitos dos seus escritos. 
Humberto de Campos traça o perfil espiritual de Pedro Richard 
em "Crônicas de Além-Túmulo". (Ed FEB). 



39




SESSÃO DE 6 DE MARÇO DE 1940

Comunicação final,  sonambúlica


O comunicante, Humberto de Campos, tenta estabelecer ligação com o médium. – Não encontra a mesma facilidade que em Pedro Leopoldo.– Como se apresentava no cenáculo de Ismael, do qual já se incorporava. – Estudo que faz da humanidade espiritual e do que ha de veras nas palavras das religiões.– Onde, exclusivamente, se encontram liberdade cristalina e consolações. – O que se lhe deparou na historia da literatura. – Grandezas acumuladas nos corações simples. – A morte e o intercambio dos pensamentos e dos sentimentos. – Seu agradecimento a Pedro Richard.


Médium: J. CELANI


Salve! veteranos legionários invisíveis da Cruzada Evangélica, que me ouvis! Salve! trabalhadores da primeira e da última hora!
Paz! a paz do divino Rabi da Galileia para todos. É isto apenas um ensaio experimental do meu trabalho preparatório de ligação com o instrumento de que me sirvo.
Não encontrou aqui a mesma facilidade, nem a mesma riqueza dos cabedais de que me utilizo na tebaida de Pedro Leopoldo; mas, é tão grande o meu desejo de penetrar neste cenáculo, despido do fardão acadêmico, trazendo apenas a vestimenta modesta dos iniciados, que aqui estou, com a mesma reverência com que eles penetravam os santuários da antiguidade.
Percorro os espaços infinitos, a estudar a humanidade espiritual. Penetro o ânimo de cada um e cotejo a vida terrena com a vida no Espírito, para verificar até onde são verdadeiras as palavras das religiões e como se realizam as esperanças com que elas acenam aos sofredores de todas as categorias.
 Liberdade cristalina e consolações só se encontram nas palavras singelas do Pastor divino.
 Percorro a história da literatura, a estudar-lhes os anseios de edificação. Pouca coisa aproveitável!
Entretanto, quanta grandeza acumulada, vinda dos corações simples, das almas simples da Terra!
 Então, invisível entre vós, eu hauria os sentimentos que se evolam dos vossos corações e ansiava por poder testemunhar-vos a minha gratidão, pelo muito de deleite que tenho gozado entre vós.
 É ainda, meus companheiros e irmãos em Jesus Cristo, um testemunho de que a morte não interrompe o intercâmbio de pensamentos entre as criaturas e de que, se elas podem continuar expressando suas ideias, também podem comungar a hóstia santa do sentimento.
 E é só. Agradeço ao mestre, Pedro Richard, a sua caridade para comigo, a sua assistência, o seu esforço prodigioso e o imenso cabedal evangélico com que me tem beneficiado.
 E agradeço á todos vós o reverenciardes a memória de um dos vossos últimos condiscípulos no aprendizado dos ensinos do Senhor.
 Deus vos guarde. Que as bênçãos divinas de Jesus se estendam sobre as cabeças  de todos os trabalhadores da sua Vinha.  – Humberto (Humberto de Campos).

Nenhum comentário:

Postar um comentário