Translate

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Lenho Verde - Lenho Seco


Lenho Verde – Lenho Seco    JUL 06

                        
         Enquanto iam conduzindo a Jesus, angariaram um tal Simão de Cirene, que vinha do campo, e puseram-lhe a cruz às costas para que a levasse no encalço de Jesus. Acompanhava-o uma grande multidão de povo, entre eles também mulheres, que o pranteavam e lamentavam. Voltou-se Jesus para elas e disse: “Filhas de Jerusalém, não choreis sobre mim; chorai sobre vós e sobre vossos filhos. Eis que chegarão dias em que se dirá aos montes: Cai sobre nós! E aos outeiros: Cobri-nos! Pois se isto acontece ao lenho verde, que será do seco?”  Lucas  23,  26 ss



         Por que chorais, filhas de Jerusalém, as penas do Deus-homem e não as culpas do homem?

            Por que deplorais os efeitos, e vos esqueceis da causa?

            Não sabeis que estas penas sangrentas são filhas da vossa culpa iníqua?

            Sofrimento não houvera se pecado não houvesse.

            Do Filho de Deus são os sofrimentos porque dos filhos dos homens são os pecados...

            Ele é o “lenho verde” – eles são o “lenho seco”.

            Ele, repleto das seivas vivas de graça – eles, plantas murchas, áridas, esqueletos e almas...

            Ele, adorador do Pai em espírito e em verdade – eles, cultores das suas “tradições paternas”, hereges da Verdade, da Justiça, da Caridade...

            Ele, o caminho, a verdade e a vida – eles, sepulcros caiados...

            Se tamanho castigo desabou sobre o cordeiro de Deus que carrega com os pecados do mundo – que castigo àqueles que tais pecados cometeram?...

            Filhas de Jerusalém chorai a triste sorte das árvores desarraigadas, das almas arrancadas de Deus, dos espíritos separados de Cristo Redentor...

Huberto Rohden
in “Em Espírito e Verdade”
Edição da Revista dos Tribunais, SP – 1941  


Nenhum comentário:

Postar um comentário