Translate

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Caminho, Verdade e Vida


Caminho, Verdade e Vida
Vinícius (Pedro de Camargo)
Reformador (FEB) Abril 1954

            A vida é a primeira e a maior de todas as graças que recebemos ou herdamos do Criador. A base do Universo é a vida e não a morte. Cumpre, porém, não confundir a vida com as existências. Estas são muitas, aquela é uma e única. A existência procede dos progenitores e corresponde ao corpo, traçando a parábola que vai do berço à sepultura. A vida provém de Deus, reporta-se ao Espírito, corresponde às suas faculdades nobres e distintas de pensar, sentir e evolver. Daí porque o Excelso Educador nos ensina ver na Divindade o nosso Pai Celestial.
Quando o Espírito encarna, inicia uma existência; quando desencarna, regressa à esfera sideral de onde procedeu. Este acontecimento pode repetir-se muitas vezes, atendendo às necessidades evolutivas da alma imortal.
            A vida, cuja característica é movimento e crescimento, gravita em direção à fonte de onde promana.  Veio de Deus e tende para Deus. D'Ele involuiu e para Ele evolve em marcha ascencional perene, insopitável.
            O fundamento da Religião, como também da Educação, é a vida. No conhecimento de sua gênese e do seu roteiro está a solução de todos os problemas. Conhecendo e, sobretudo, sentindo essa evidência, o Espírito - encarnado ou desencarnado - estará realizando conscientemente a sua gloriosa destinação.
            Por ser assim é que disse o Mestre: Eu sou o caminho, a verdade e a Vida; ninguém vai ao Pai senão por mim.
            Essa sentença profunda e sábia encerra o alfa e o ômega da escola cristã. Através dos seus dizeres sucintos e sintéticos, o Instrutor da Humanidade ensina que a suprema Verdade está na Vida que, provindo de Deus e retomando para
Deus, traça, nessa trajetória imensurável, o caminho que encarna o destino de toda a infinita criação.
            Viver é um imperativo da Natureza: vive o minério, vive a planta, vivem os animais e vive o homem no cenário terreno. Não basta, pois, viver: é preciso viver conscienciosamente, honrando e dignificando a Vida.
            Amar a Deus de todo o nosso entendimento, coração e força, e ao próximo como a nós mesmos - tal como preceituam a Lei e os Profetas -, importa em amar a Vida em Deus, em nós mesmos e em todos os seres, particularmente em nossos semelhantes.
            Este é o verdadeiro idealismo religioso em sua máxima expressão.
            O dia em que se ensinar e exemplificar essa doutrina nos lares, nas escolas e nos templos, a face do mundo se transformará.


Nenhum comentário:

Postar um comentário