Translate

domingo, 8 de junho de 2014

17. A palavra de Camille Flammarion



pgs. 67  de
Sonhos Estelares’ de Camille Flammarion
(Edição FEB - 1941)
-com tradução de Arnaldo S. Thiago-


            “O universo não se formou, como uma peça inteiriça, na origem das coisas. Essa origem mesmo não existe. Encontramos no espaço sois de todas as idades, Entre eles há antigos, como também há novos sois. Aqui, berços; mais além, túmulos. Se as primeiras (?) criações formadas pela "matéria" e pela "energia", não se tivessem renovado, não haveria mais universos. Toda a energia primitiva que houvesse animado os sois, ter-se-ia esgotado. Matéria e energia, aliás, não constituem mais do que uma só coisa.

            Do mesmo modo que, percorrendo uma floresta, encontramos diante de nós carvalhos em ruína, árvores verdes e rebentos novos, também o viajor celeste encontra no espaço mundos há muito tempo mortos, terras agonizantes, moradas em plena atividade e astros apenas saídos da sua eclosão.


            Tudo morre; mas tudo ressuscita.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário