Translate

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Durante o sono do corpo

Durante o sono do corpo
Editorial
Reformador (FEB) Maio 1956

            Numa bela preleção que ocupa as páginas 188 a 190 de Instruções Psicofônicas, temos que estudar um dever novo para nossa consciência normal. O autor é Calderaro, um instrutor espiritual com quem já travamos conhecimento no livro de André Luiz, “No Mundo Maior”.

            Se depois da "morte" nos esperam novas tarefas a realizar, igualmente depois do dia,
quando nosso corpo provisoriamente "morre"  pelo sono normal, temos deveres a cumprir no mundo espiritual, mas raras vezes cumprimos tais deveres, porque o nosso dia nos acarretou desarmonias, perturbações, e o tempo do sono é empregado somente "em esforço compulsório de reajuste".

            Calderaro nos dirige um apelo, para melhorarmos nossa conduta, a fim de podermos cumprir nossos deveres como espíritos interinamente desencarnados:

            “Convidamos, assim, a vocês, tanto quanto a outros amigos a quem nossas palavras possam chegar, à tarefa preparatória do descanso noturno, através do dia retamente aproveitado, a fim de que a noite constitua uma província de reencontro das nossas almas, em valiosa conjugação de energias, não somente a benefício de nossa experiência particular, mas também a favor dos nossos irmãos que sofrem.
         Muitas atividades podem ser desdobradas com a colaboração ativa de quantos ainda se prendem ao instrumento carnal, principalmente na obra de socorro aos enfermos que enxameiam por toda aparte.  
         Vocês não desconhecem que quase todas as moléstias rotineiras são doenças da ideia, centralizadas em coagulações de impulsos mentais, e somente ideias renovadoras representam remédio decisivo.
         Por ocasião do sono, é possível a ministração de amparo direto e indireto às vítimas dos labirintos de culpa e das obsessões deploráveis, por intermédio da transfusão de fluidos e de raios magnéticos, de emanações vitais e de sugestões salvadoras que, na maior parte dos casos somente os encarnados, com a assistência da Vida Superior, podem doar a outros encarnados."

            Esta mensagem toda merece muito meditada para ser posta em prática. Há grandes deveres a cumprir durante o sono do corpo e nós perturbamos o Plano Divino de ação em benefício dos sofredores e de nós mesmos, porque nos desarmonizamos com a Lei durante o dia; em nossa vida agitada e exaustiva, de modo que passamos essas horas preciosas do sono somente consertando as ruínas que fizemos durante o dia.

            Como é grande a nossa ignorância!


Nenhum comentário:

Postar um comentário