Translate

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Quando a prova chegue


                         "Porque melhor é que padeçais fazendo bem ..."                                                                            (Pedro - I Pedro, 3:17)

            Quando a prova chegue para testar-te a serenidade e a fé, recorda aqueles que atravessam dificuldades maiores que as tuas, mantendo confiança na vida e calma no sofrimento, ainda quando penúria e morte, calúnia e abandono lhes visitam o coração e a casa.

            Observa que a inconformidade e o azedume nunca se converteram em vantagem para ninguém.

            Se o desânimo te acena, ainda mesmo de longe, afasta-te dele, porque o desânimo nada mais consegue fazer que paralisar-te as mãos e enregelar-te os sentimentos.

            Medita nas aflições que explodirão por tua causa naqueles que te cercam, se te entregares à irritação ou ao desalento.

            Soma as bênçãos que já recebeste da Providência Divina, a fim de que não venhas a cair no delito da ingratidão.

            Reconheçamos que o socorro espiritual é sempre mais difícil onde haja tumulto.

            Anotemos que, em sanidade de espírito, somos compelidos a reconhecer que a violência nunca favorecerá a chegada do apoio de que estejamos necessitados.

            Se obstáculos aparecem, lembremo-nos de que o trabalho no bem de todos é o processo de mais facilmente extingui-los.

            Compreendamos que unicamente cooperando na paz dos outros é que o concurso da paz virá ao nosso encontro.

            Quando a prova nos alcance o círculo pessoal, recorramos à oração, entendendo que a oração nem sempre alterará os acontecimentos, em torno de nós, mas sempre nos renovará por dentro, iluminando-nos o coração, a fim de que saibamos trilhar o caminho seguro do nosso próprio aperfeiçoamento para a sublimação, ante as Leis de Deus.

Quando a prova chegue
Emmanuel por Chico Xavier

Reformador (FEB) Abril 1973

Nenhum comentário:

Postar um comentário