Translate

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Kardec. Na carne e fora dela.


              "Devido às minhas relações, naturalmente possuo a respeito (história do Espiritismo) os documentos mais numerosos e autênticos que existem, pois pude acompanhar a doutrina em todo o seu desenvolvimento, observar-lhe as peripécias todas, como prever lhe as consequências. Para o homem que estuda esse movimento, a evidencia final é que o Espiritismo marcará uma fase da humanidade. É, pois, necessário que, de futuro, se saiba das vicissitudes que teve de atravessar, os obstáculos encontrados, quais os inimigos que tentaram inutilizá-lo, de que armas se serviram para o combater. Importa também saber por que meios pode triunfar, e quais as pessoas que, por seu zelo, devotamento e abnegação, terão eficazmente contribuído para a sua propagação. Aqueles cujos nomes e atos merecerem ser assinalados para o reconhecimento da posteridade - é um dever que me impus - terão seus nomes inscritos nas minhas fichas" (‘Revue Spirite’, junho, 1862, pp. 182/3 - "Voilà comment on écrit l'histoire!'')  Allan Kardec  


História do Espiritismo
(O pensamento de Kardec em 1862 e, já desencarnado, em 1869)
Reformador (FEB) Fevereiro 1976

                                                                       *

            "Quando eu me achava corporalmente entre vós, disse muitas vezes que havia de fazer aí uma história do Espiritismo que não seria destituída de interesse. É este, ainda agora, o meu parecer e os elementos que eu reunira para esse fim poderão servir um dia à realização da minha ideia. É que eu, com efeito, me encontrava mais bem colocado do que qualquer outro para apreciar o curioso espetáculo que a descoberta e a vulgarização de uma grande verdade provocara" (Revue Spirite, dezembro 1869, pp. 358/60; "Obras Póstumas" - Os desertores -, pp. 254/6, 15ª Edição, FEB, 1975).  Allan Kardec, Espírito




Mensagem de Kardec
Médium mecânico: Fernando de Lacerda
Mensagem recebida em 6 de maio de 1907,
conforme obra "Do Pais da Luz", Volume 2,
publicada no Reformador (FEB) em Março de 1945

            Companheiro. É incontroverso que depois que da Terra saí, alguma coisa aprendi mais do o que nela sabia. Este novo pecúlio de saber seria talvez proveitoso à refundição da minha obra aí.

            Tenho refletido muito nisso, por vezes. Sempre que encontro na Terra um médium bom, crio desejos de fazê-lo - e, agora, que tenho assistido o desabrochar das tuas faculdades, mais uma vez pensei, com interesse, na possibilidade de fazer esse trabalho de melhoramento, de aperfeiçoamento.

            Penso, porém, ao mesmo tempo, que me devo contentar com o que deixei feito.

Assim como é, tem servido bem para o fim a que a destinaram os Espíritos que a ela presidiam, e os que se me seguirem aí, que busquem, no campo especulativo, o que por mal meu e dela lhe possa faltar ainda.

            No campo experimental, ilustres e prestantíssimos sábios se lhe tem avantajado em muito.

            A parte experimental é, porém, efêmera. Boa para a conquista, não tem, todavia, qualidades de estabilidade e de conservação. Como fenômeno experimentado, entra na ordem das coisas concretas, e para estas coisas, o aperfeiçoamento é mais sensível, porque a natureza delas é mais precária.

            Uma obra experimental de grande atualidade e verdade hoje, daqui a dez anos será velha, se a não acompanhar, como parte integrante e auxiliar, a feição abstrata e ideal.

            Os meus livros, no que têm de prático, sob o ponto de vista experimental, estão antiquados e suplantados, de há muito, por dezenas de outras obras de mais incontestado e incontestável valor, daquela ordem de estudos. O que, porém, neles existe da parte moral e de ensinamento, ainda não foi nem será facilmente sobrepujado. É que, neste campo, eles estão com a verdade e a verdade, apresentada sob que aspecto for,  é sempre a verdade. É tão nova hoje, como no tempo de Cristo, como no tempo dos profetas, como em qualquer tempo.

            Como disse Littré na sua comunicação: -Sobre Filosofia, o homem está hoje tão adiantado como há milhares de anos.

            Ora, a Filosofia é a verdade espiritual na Terra. Sendo assim, para que hei de mexer na minha obra?

            O que tem de bom, há de ser bom para sempre. O que não é bom já está destruído pelo tempo e substituído vantajosamente por todos os trabalhos dos que, com mais valor, me sucederam.

            Se, porém, eu reconhecer necessidade e oportunidade para dizer alguma coisa de novo e de útil, o farei; assim como, terei sempre grandíssimo prazer em te responder sobre qualquer assunto, ou sobre qualquer detalhe, em que me dês a satisfação de me consultares. Digo-te isto despretensiosamente. Não me ofereço. Conselhos não se oferecem. Ponho-me à tua disposição para te utilizares de meu préstimo e da minha experiência, se nisso vires alguma vantagem; mas não me magoarei se me utilizares.

            E que Deus te ilumine sempre a estrada a percorreres.   Allan Kardec




Saudação de Allan Kardec
página psicografada pelo médium Júlio Cesar Grandi Ribeiro,
na noite de 2-1-1984, na FEB, em Brasília, DF, por ocasião
da solenidade comemorativa do I Centenário da Casa-Máter
do Espiritismo no Brasil e transferência de
sua Sede Central para Brasília.)
Reformador (FEB) Março de 1984

Espíritas brasileiros.

            Eis que vos trago o amplexo de permanente estima e sincero louvor!

            Estima que mais se amplia no convívio abençoado dos serviços no Bem em nome do Senhor e Mestre. Louvor ante a grandiosa obra que empreendeis em nome da Caridade!

            Contudo não vos apresento, na solenidade de profundo significado espiritual para tantos corações, senão o estandarte das vitórias parciais até aqui alcançadas, o qual empunharemos com dignidade e respeito, consciência e bom ânimo, prosseguindo disciplinados em nosso desiderato, rumo ao futuro de sublimadas metas.
           
            Certo, rugem ainda sobre vossas cabeças as línguas de fogo que vos experimentarão nos testemunhos indispensáveis.

            A palavra de ordem imperiosa e divina ainda e sempre é AMOR!

            E a recomendação inolvidável para as defensoras do movimento regenerador das almas é INSTRUÇÃO!

            Amor que reúne e unifica corações em torno da obra grandiosa que é a evangelização do Homem.

            Instrução que identifica interesses comuns nos mesmos ideais, frutificação do estudo nobilitante que sempre defenderá os sagrados patrimônios da VERDADE!

            Eis que os legítimos, leais e prestimosos servidores da Seara estão a postos em seus misteres esquivando-se à estagnação das rivalidades improdutivas e fugindo às discórdias vexatórias, quão danosas, fulcro de sombras.

            Os méritos dos operários fiéis ao Senhor estão arrolados no acervo das responsabilidades que os situam na incansável batalha pela regeneração da Humanidade.

            Apressam-se os tempos...

            Cumprir-se-ão todas as afirmativas proféticas!

            O homem de bem herdará a Terra!

            Nada de novo poderei acrescentar aqui ao que já vos tem sido amplamente enfatizado pelos arautos da grandiloquente revelação. A Codificação Espírita ainda se vê essencialmente desconhecida de tantos corações que se rotulam de espiritistas, conquanto o movimento regenerador de almas permaneça lucidamente de pé em terras brasileiras.

            Saúdo-vos, portanto, espiritistas irmãos, deste bendito Cenáculo da Federação Espírita Brasileira, almejando-vos, junto ao Mestre e Senhor, permanentes e infatigáveis esforços pela evolução espiritual e pelo avanço evolutivo do próprio orbe onde vos domiciliais na incomensurável Casa do Pai.

            Aqui compareço tão somente na condição de um servidor a mais na causa do Bem.


            Deixando-vos a cordialidade do meu apreço, saúdo-vos uma vez mais respeitoso e gratificado.      Allan Kardec



Nenhum comentário:

Postar um comentário