Translate

sexta-feira, 30 de junho de 2017

O Catolicismo e a ciência vão fazer as pazes?



O Catolicismo e a ciência vão fazer as “pazes”?
B.G.Paiva
Reformador (FEB) Outubro 1939

Chegamos visivelmente aos tempos em que as provas são chamadas, em que os documentos devem ser examinados e as opiniões estudadas de novo. A verdade nada tem a temer e a religião emerge sempre de tais provas mais forte e brilhante do que anteriormente. - FRAUDE

Eis aí uma profecia que começa a cumprir-se.

Narra um jornal de São Paulo. "Correio Paulistano", de 6 de outubro corrente, que o nosso Ministro das Relações Exteriores recebeu um ofício da Embaixada do Brasil junto à Santa Sé, comunicando ao Governo Brasileiro que a Academia Pontifícia, que funciona sob os auspícios da Santa Sé, no Palácio "Pio IV", da cidade do Vaticano, resolveu convidar anualmente, a se reunirem em sua sede, alguns cientistas estrangeiros que tenham aprofundado certos .problemas, afim de tomarem parte num debate franco, em comum, sobre tais problemas, fora de quaisquer outras preocupações.

O principal objetivo desses debates, acrescenta o ofício, é o de se esclarecerem precisamente os motivos das divergências de opinião de modo que se torne possível a solução de muita controvérsia científica.

A primeira das semanas de estudos foi marcada para dezembro próximo e será dedicada ao seguinte tema: "O PROBLEMA DA IDADE DO MUNDO", segundo investigações baseadas em vários dados astronômicos conhecidos.

Para o estudo desse tema, diz ainda o ofício, foram convidados o Diretor do Observatório da Universidade de Princeton, o do Observatório Nacional de Paris, o da Universidade de Durham, o do St. John’s College, de Cambridge, o Dr. J. Jeams, de Dorking, e o Diretor do Observatório de Estocolmo.

O tema escolhido para o primeiro debate não podia ser mais interessante. A idade do mundo, nas doutrinas da religião romana e outras, é contada da "aparição de Adão" neste planeta, tomada ao pé da letra a figura bíblica da "Gênese". Servindo de base a essas religiões, para instituição do dogma do "pecado original", o do aparecimento de Adão fez com que se encadeia-se uma série de outros dogmas, que as aludidas religiões se viram obrigadas a criar, para justificar o primeiro daí resultando um círculo vicioso em que elas se debatem, abrindo, de dentro dele, luta titânica com a ciência, sem poderem de modo algum chegar a um acordo.

Se se encastelarem na "letra" das Escrituras, nunca poderão as religiões chegar a entendimento com a ciência. Serão sempre duas inimigas irreconciliáveis. Deve, pois, estar de parabéns, parece-nos, a Santa Sé, pelo haver tomado a iniciativa de ouvir a opinião da ciência sobre "problemas" desta ordem, aliás "problemas" para a Santa Sé, porquanto para nós há muito que foram resolvidos pelo "Espírito de Verdade". 

Nenhum comentário:

Postar um comentário