Translate

domingo, 22 de fevereiro de 2015

A Sibila de Rosenhn

A Sibila
de Rosenhn


Túlio Tupinambá /(Indalício Mendes)
Reformador (FEB) Junho 1962

            Refere-se este artigo à médium alemã Kate Speemans, que nasceu na Baviera, em 1783, na cidadezinha de Rosenhn, perto de Munique. É considerada um dos médiuns mais célebres de todos os tempos.

            Pelo que se sabe, desde os doze anos que a consultavam antes de realizar qualquer tarefa de importância. Revelava experiência segura em assuntos que, fora do transe mediúnico, desconhecia inteiramente, muitos dos quais ocorridos antes da data do seu nascimento.

            Se lhe perguntavam de onde tirava tais conhecimentos, ela respondia invariavelmente assim:

            - “Há muitos anos já que vivo entre vocês. Conheci-os quando ainda vocês todos eram tão pequenos quanto eu o sou agora.”

            Sua fama se espalhou rapidamente e o povo começou a denominá-la “a sibila de Rosenhn”.

            Entre os muitos cronistas que a ela se referiram, conta-se Delaunay, que relata este fato:

            “Certa vez um irmão do Príncipe Guilherme procurou-a. Era moço, ardente e impetuoso nos seus trinta e dois anos. Inconformado com a posição secundária em que se achava no Reino, por não ser o primogênito, perguntou a Kate Speemans quando chegaria a ocasião de prestar algum serviço a seu país, de modo a despertar a atenção do povo, que não tomava conhecimento da sua existência. Ele estava soberbo no uniforme militar com que se apresentara àquela médium.

            Depois de observá-lo rigorosamente, ela respondeu:

            - Príncipe, sois muito ambicioso. Tereis um futuro brilhante e vos cobrireis de glória juntamente com a nossa pátria. Todavia, temeis mais a enfermidade do que a morte. Não tendes paciência para sofrer.

            - Quando acontecerá isso? Quando terei um papel ativo no Reino? Quando deixarei de estar relegado a uma posição secundária e obscura?

            Essa sucessão rápida de perguntas denunciava o estado de espírito do jovem príncipe.

            Kate não tardou a responder:

            - Estamos no ano de 1829...

            Levantou-se, apanhou um pergaminho que se achava sobre a mesa, e, apresentando ao príncipe uma pena de águia, de finíssimo corte, disse-lhe que escrevesse o ano referido -... 1829, repetindo verticalmente os algarismos debaixo do último deles, de modo a poderem ser somados:

                                               1829
                                               1
                                               8
                                               2
                                               9
                                               1849

            No ano de 1849, que é a soma dessa simples operação, reprimireis um movimento democrático iniciado na França, o qual transtornará a cabeça dos nossos compatriotas. Vencereis os revoltosos e restabelecereis totalmente a ordem.

            - Poderei unificar um dia os povos germânicos, formando um só império e reinando sobre ele? - indagou, nervoso.

            Kate, séria, mostrando impressionante palidez no rosto, falou:

            - Sim: sereis imperador da grande Alemanha.
            Mais nervoso ainda, o príncipe exigiu:

            - Mas... quando?! quando?!

            Notando a profunda emoção do visitante, a médium respondeu imperturbavelmente:

           - Somai agora a 1849 as mesmas cifras, de maneira idêntica ao que fez há pouco e encontrareis a resposta.

            O príncipe, aflito, obedeceu, e o resultado da nova soma foi este:

            1849 + 1 + 8 + 4 + 9 = 1871

            Deixando-se trair pelo entusiasmo, o príncipe exclamou em voz alta:

            - Quer dizer que serei imperador em 1871!

            Pois bem, Kate: se a sua profecia for acertada, não me esquecerei de você. Será que a sua ciência poderá ir mais longe ainda? Poderá dizer o ano em que morrerei?

            A médium fixou bem os olhos do príncipe e considerou:

            - Não gosto de revelar aos homens o segredo de sua última hora - disse ela, depois de uma pausa em que meditou acerca da inesperada pergunta.

            E acrescentou:

            - Alteza: ninguém possui uma alma tão bem forjada que possa afrontar sem temor a data fatal. Perdoai-me e relevai o meu silêncio a este respeito.

            O príncipe, porém, era voluntarioso e insistiu:

            - Mas você não me assegurou há pouco que sou forte e que a morte me assusta menos do que a enfermidade? Pode responder-me, se é que a sua ciência alcança até esse limite...

            Diante de tais palavras, que ocultavam uma ordem, Kate Speemans cedeu:

            - Se assim o exigis, Alteza, não tenho outra alternativa: Repeti a mesma operação de antes, somando de novo, e os números vos darão a resposta que desejais. Podeis ter a certeza de que dirão a verdade.  

            Ele começou a escrever:

            1871 + 1 + 8 + 7 + 1 = 1888

            O príncipe ficou profundamente emocionado.

            A voz lhe sumira da garganta. Quando pode falar, disse à médium:

            - Promete-me você longa vida. Se ela for feliz e gloriosa, aceitarei com satisfação a profecia. .. Entretanto, desejo fazer-lhe uma última pergunta: Durará muitos anos o Império que será fundado por mim?

            Não se conteve e estabeleceu novas interrogações:

            - Sofrerá o meu país a influência das novas ideias? Perderá a Monarquia, no futuro, o seu prestígio, implantando-se aqui, no Reino, o regime democrático?

            Impassível, a médium, como resposta, realizou nova soma:

            1888 + 1 + 8 + 8 + 8 = 1913

            Sem conter a desilusão, mas resignado, o príncipe guardou o pergaminho em que haviam sido feitas todas as somas e se despediu de Kate, dando-lhe as mais inequívocas demonstrações de agradecimento.

            Esse príncipe se tornou, na data fixada, 1871, imperador da Alemanha. Foi ele Guilherme I. Todas as datas foram rigorosamente exatas. Tendo por sustentáculo o Marechal Bismark, chamado o “Chanceler de Ferro”, Guilherme I desencarnou em 1888, sendo sucedido por seu filho, Guilherme II, o Kaiser, cuja ambição desmedida de escravizar o mundo iniciou a desagregação do Império fundado por seu pai. Kate apontou o fim do Império para 1913, pois, na realidade, foi nesse ano que o pan-germanismo começou a desmoronar, embora só em 1914 rebentasse a primeira Conflagração Mundial, provocada pelo Kaiser, e a guerra terminasse em 1918. Foi em 1913 que o trabalho oculto de desmantelamento do Império começou a ser feito, desde quando Guilherme II decidiu tornar-se senhor do mundo.

            Aí está, em linhas rápidas, uma face importante e não menos curiosa da mediunidade. Kate Speemans, “a sibila de Rosenhn”, não desmentiu o prestígio que adquirira como médium, embora muitos a tomassem, o que ainda hoje é comum,

por simples “feiticeira”... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário